SOLUÇÕES

Quem?

De catador a líder da Cadeia Produtiva da Reciclegem.

De ex catador a líder da Cadeia Produtiva da Reciclagem Edson Freitas Gomes, nascido em 12 de Abril de 1967 , na cidade do Rio de Janeiro, filho de Pai José Octávio da Costa Gomes e Mãe Nautilia Freitas Gomes, casado com a professora Jussirene das Graças de Farias Gomes, pai de três filhos, sendo Daniel o seu primogênito formado em direito ambiental, Anderson o seu filho do meio formado em gestão ambiental e sua filha Danielle como a caçula formada em engenharia ambiental e sanitária. Hoje ocupa o cargo de empresário e consultor ambiental do Pólo de Sustentabilidade do Rio de Janeiro, mas já foi catador e ambulante. Também, já fez parte da presidência da ARERJ (Associação dos Recicladores do Estado do Rio de Janeiro), da presidência da ABREPET (Associação Brasileira das Empresas de Garrafas PET), foi um dos co-fundadores do SINDIECO (Sindicato das Empresas da Reciclagem), foi um dos idealizadores da Frente Parlamentar da Cadeia Produtiva da Reciclagem, hoje atua como coordenador técnico, o criador do Movimento Sócio Ambiental Sou do Bem por Natureza, o pioneiro no processamento do óleo de cozinha pós consumo através do projeto Bioplanet.

 

 

Quando?

Em 2019 a 2022.

Obedecendo a Legislação em vigor que determina que o período de mandato de gestão pública de um deputado estadual é de quatro anos, mediante sua posse. Edson Freitas, após ser eleito, pretende nos anos de 2019 até o ano 2022, através de seu gabinete, transformar o Rio de Janeiro em um modelo à ser seguido por outras cidades do Brasil. Através da sua plataforma de campanha que visa melhorar a política pública simplesmente fazendo justiça a cadeia produtiva da reciclagem, trazendo mais equilíbrio monetário e gerando mais divisas ao estado.

 

 

Onde?

Na Capital da Reciclagem.

O Rio de Janeiro conta hoje com aproximadamente seis mil empresas ligadas a cadeia produtiva da reciclagem e ainda é um dos estados de maior produção de lixo do país, tornando-se em um verdadeiro problema social de grandes proporções. Encarado pelo atual governo como uma verdadeira bomba sem solução, o lixo produzido no estado acaba sendo destinado de forma errada, por falta de coerência administrativa da gestão pública.

 

O estado do Rio de Janeiro incentiva uma destinação do lixo errônea, que coleta e destina o mesmo para aterros sanitários, para que sejam enterrados sem nenhum tipo de tratamento e beneficiamento, poluindo e contaminando tudo ao seu redor. Comprovando uma total irresponsabilidade e falta de capacidade administrativa por parte de nossos representantes, que desperdiçam uma verdadeira fortuna na contaminação de nosso meio ambiente, Aplicando milhões de reais por ano no descarte insustentável de matéria prima, que poderiam ser re-manufaturada e inserida novamente no mercado.

 

Na atualidade o estado do Rio de Janeiro, conta com a cadeia produtiva da reciclagem, com uma capacidade de recuperar, coletar, separar, destinar, beneficiar e reciclar 100% de toda essa matéria prima que está sendo desperdiçada por nossos representantes. Ou seja, o estado do Rio de Janeiro tem hoje a condição perfeita para se tornar a capital da reciclagem tornando-se um exemplo para os outros estados.

 

 

De que forma?

Justiça a Cadeia Produtiva da Reciclagem.

Para que o Rio de Janeiro torne-se a Capital da Reciclagem, uma referência para outros estados ou até mesmo outras cidade fora do Brasil, é necessário que se faça, antes de mais nada, justiça a cadeia produtiva da reciclagem. Proporcionando equidade e equilíbrio no mercado, extinguir a burocracia e a morosidade no enquadramento das corporações envolvidas com a cadeia, beneficiar e incentivar fiscalmente, tributariamente, economicamente e financeiramente as empresas. Implantar uma política séria quanto a coleta seletiva, cobrar mais fiscalização quanto ao proceder das contaminadoras no que diz respeito a responsabilidade compartilhada prevista na PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos). Na plataforma política está bem definhada todas as estratégias a serem conquistadas, através das  vinte metas.

 

 

Para que?

Preservar um futuro Próspero.

O problema do lixo não é uma condição apenas imposta ao Brasil, mas sim no mundo todo. Por esse motivo é que precisamos de alguma forma estabelecer políticas públicas que realmente saibam lidar com esse tipo de situação, para que possamos estender a nossa qualidade de vida e preservar um futuro mais sustentável.

 

 

Por que?

Podemos mudar.

O Brasil tem sua economia estruturada em commodities, ou seja bens de qualidade uniformes, retirados e produzidos de seus recursos internos, as duas maiores commodities principais do país são o petróleo e o agronegócio, com uma moeda ainda muito fraca, o Brasil acumula perdas internacionalmente. Porém, esse quadro pode ser alterado facilmente. Com um volume de rejeito de 80 milhões de toneladas por ano e com apenas 3% desse montante sendo reciclado, somado a aproximadamente R$ 120 bilhões de reais que são destinados de forma errada ao descarte do lixo em aterros sanitários, que se fossem bem aproveitados mudaria o quadro econômico, aumentando o seu PIB e atraindo novos investimentos e investidores, melhorando e muito a atual situação financeira do país. Sem contar com o valor imensurável ambiental agregado ao setor.

 

 

Quanto Custa ?

Hoje no Brasil são desperdiçados entorno de R$ 120 bilhões de reais por ano por não reciclar as embalagens. Essa fortuna toda é aterrada pelos municípios e empresas de coleta de lixo convencional. Isso mesmo, esse dinheiro todo é enterrado ou melhor, matéria prima, que deveria estar sendo beneficiada pela a cadeia produtiva da reciclagem e retornando ao mercado de forma sustentável gerando emprego e renda, além de promover saúde e qualidade de vida sem poluir, contaminar e degradar o meio ambiente. Todo esse dinheiro poderia e deveria retornar a sociedade na forma de serviços públicos como por exemplo a saúde, a moradia, a educação entre tantos outros setores deficientes. Somente com esse repasse o Governo Federal já sanaria definitivamente a deficiência de pelo menos um ou até mesmo dois setores sociais.

Imagine se houvessem políticas públicas eficientes, que ao invés de tratar o lixo como um artigo contaminante ao meio ambiente o tratasse como matéria prima produtiva. Somente para se ter uma ideia a cadeia produtiva da reciclagem economiza mais energia  do que o horário de verão.

Só para registrar, diga-se de passagem que a cadeia produtiva da reciclagem é um dos pouquíssimos setores que consegue exercer seu papel econômico e financeiro com uma excelência sustentável, basicamente de forma autônoma.

 

 

Para quem?

Onde todos ganham

Essa campanha é feita para você cidadão ficha limpa, cidadão de bem que busca melhorias na sua qualidade de vida, que necessita ser bem representado politicamente, que realmente tenham seus interesses defendidos integralmente de forma limpa, clara, honesta e transparente. Toda essa plataforma de governo visa resgatar em alto nível a nossa integridade social e a nossa cidadania, nos direcionando e nos guiando numa trajetória que nos reposicione moralmente como uma nação honesta, prospera, com governantes que realmente estejam envolvidos com uma política pública de interesses sociais, que valorizem de fato todos os cidadãos brasileiros e não apenas um determinado grupo ou setor, realmente promovendo um estado democrático de com igualdade, equilíbrio, equidade, imparcialidade. Um verdadeiro estado fortalecido na sua soberania que busca sua supremacia.

 

 

 

 

 

DEPUTADO ESTADUAL RJ EDSON FREITAS GOMES

CNPJ: 31.242.460/0001-50

FORÇA DO RIO - DEM, PV, PROGRESSISTA, DC, PSDB, PMN, AVANTE, PHS, MDB, SD, PPS, PTB - DC/PV

EDSON DA RECICLAGEM CADIDATO ESTADUAL 27100 - ELEIÇÕES 2018

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

(21) 97990-6932

edsondareciclagem@gmail.com

ENDEREÇO COMITÊ:
Estrada João Paulo, 1005, escritório 01, Barros Filho, Rio de Janeiro – RJ CEP 21.512-001